A Fundação da Casa de Mateus foi instituída em 3 de Dezembro de 1970 por D. Francisco de Sousa Botelho de Albuquerque, Conde de Mangualde, de Vila Real e de Melo, que doou uma parte substancial do seu património a esta instituição.

Os seus objetivos eram claros: garantir a persistência no tempo de um Património e partilhar uma Memória que a Casa de Mateus corporiza e simboliza.

Esta preocupação não era exclusivo apanágio do instituidor. Muito tempo antes dele, ao longo de sucessivas gerações, os seus antepassados foram construindo as bases e reunindo os meios que permitiram a salvaguarda do património familiar.

D. Francisco soube interpretar este padrão familiar, atualizando-o e criando as condições necessárias para a sua viabilização no século XXI.

Os fins estatutários da Fundação da Casa de Mateus são a preservação da Casa, o estudo do seu arquivo e a promoção de atividades culturais, científicas e pedagógicas.

Hoje, a Fundação é uma organização dinâmica, voltada para a comunidade, e, ao promover o conhecimento e a excelência nas suas mais variadas intervenções, ocupa um lugar de destaque no panorama nacional e internacional, para o qual aponta o esforço coletivo e individual da família do instituidor.

Estatutos da Fundação da Casa de Mateus

 

PRINCÍPIOS E CÓDIGO DE CONDUTA

A Fundação da Casa de Mateus tem como objectivos principais:

Para alcançar estes objetivos, a Fundação mantém a Casa e os jardins abertos ao público, promove a realização de estudos, de trabalhos de investigação e outras iniciativas que incentivem o conhecimento e a divulgação do seu património.

Na prossecução das suas atividades, a Fundação da Casa de Mateus procurará ser fiel ao compromisso de responsabilidade social que constitui a sua missão, tal como foi definida pelo fundador.