O Ciclo de Conversas sobre Arte Ciência e Cultura é uma iniciativa da Universidade de Trás-os-Montes e Alto-Douro, que se desenvolve em colaboração com a Fundação da Casa de Mateus e o Instituto Internacional Casa de Mateus. O ciclo de conversas decorreu de 5 de Dezembro de 2015 a 3 de Dezembro de 2016. Durante esse período realizaram-se 7 sessões, 5 das quais em parceria também com o Grupo de Teoria Política do Instituto de Línguas e Ciências Humanas da Universidade do Minho, sob a designação genérica “A Hora da Ética” e a coordenação do Professor Roberto Merrill.

No dia 5 de Dezembro de 2015, foi orador o Professor José Francisco Preto Meirinhos, da Universidade do Porto, que abordou o tema “A Ética de Aristóteles: antiguidade e actualidade”. A sessão iniciou-se com a apresentação do livro da biblioteca da Casa de Mateus – “Discursos sobre la filosofia moral de Aristoteles”, editado por Antonio de Obregón y Cereceda, de 1603.

A sessão incluiu também uma apresentação e degustação do vinho branco Riesling 2012 da Lavradores de Feitoria, apresentado pelo enólogo José Carlos Fernandes.

 

No dia 13 de Fevereiro de 2016 foi orador o Professor João Cardoso Rosas, da Universidade do Minho, que apresentou, à luz das principais teorias da ética, o tema “Da virtude ao dever: o carácter imperativo da ética moderna”. Nesta sessão, o Arquivo da Casa de Mateus apresentou e comentou um manuscrito do 5º Morgado de Mateus, D. José Maria de Souza Botelho Mourão, intitulado: “Breve historia ou notícias desta Casa de Mateus que serve de introdução à lição dos títulos para instrução do meu filho”, de cerca de 1800, em particular a parte em que escreve: “O homem só se distingue pelas suas virtudes e acçoens, e a nobreza ou releva mais estas, ou afêa mais os vícios. […] Man wants but little here below and does not want that little long.”

A sessão incluiu também uma apresentação e degustação do vinho branco Riesling 2013, da Lavradores de Feitoria, a qual esteve a cargo do enólogo José Carlos Fernandes.

 

No dia 13 de Junho de 2016 com o Professor Satoshi Matsui da Universidade de Senshu, Japão, e com a investigadora Juliana Bidadanure da Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, a sessão versou sobre a relação entre o socialismo e o liberalismo, numa perspetiva ética. A sessão foi moderada pelo Professor Roberto Merrill da Universidade do Minho, em Inglês, com apoio de tradução em Português.

Por ocasião deste encontro, foi oferecida aos participantes uma prova do Porto Vintage de 2006 da Quinta da Costa das Aguaneiras. O enólogo da Casa de Mateus, Eng. José Carlos Fernandes, apresentou o vinho.

 

No dia 16 de Julho de 2016 decorreu a sessão com os Professores Karl Widerquist (Universidade de Georgetown, Estados Unidos da América) e Borja Barragué (Universidade Autónoma de Madrid), especialistas em filosofia política, que discutiram argumentos éticos sobre o Rendimento Básico Incondicional. Por esta ocasião, o Arquivo da Casa de Mateus apresentou um documento de 1773 de D. Luís António de Sousa Botelho Mourão, governador da Capitania de São Paulo, dando conta de um pagamento efectuado a António Fernandes de 80.000 reis, por uma menina de 6 anos, de nome Sebastiana dos Prazeres. A sessão foi moderada pelo Professor Roberto Merrill  (Universidade do Minho), em inglês, com apoio de tradução em português.

Desta vez, foi oferecida aos participantes uma prova do vinho Rosé 2015, da Lavradores de Feitoria.

 

No dia 22 de Outubro de 2016 com Alan Thomas (York), Professor de filosofia e chefe de departamento da Universidade de York, e com a investigadora Susana Cadilha da Universidade do Proto, abordou-se o tema – Particularismo Moral e Ações de Grupo. A sessão foi moderada pelo Professor Roberto Merrill da Universidade do Minho, em Inglês, com apoio de tradução em Português.

Por ocasião deste encontro, foi oferecida aos participantes uma prova de vinho tinto 3 Bagos reserva 2013 oferecido pela Lavradores de Feitoria.

 

No dia 12 de Novembro de 2016, a Ética dos Bancos foi o tema e o orador convidado foi Geert Demuinjk (EDHEC Business school), Professor especialista em Ética do trabalho e Filosofia Política. A apresentação foi moderada pelo Professor Roberto Merrill da Universidade do Minho, em Inglês, com apoio de tradução em Português.

Como habitual, os participantes e convidados tiveram a oportunidade de provar vinho do Porto LBV 2010 da Quinta da Costa das Aguaneiras.

 

A sessão do Ciclo de Conversas sobre Arte Ciência e Cultura agendada para o dia 03 de Dezembro de 2016, pelas 15h, teve como tema a Ética do Amor e contou com o Professor Roberto Merrill (Universidade do Minho), como orador, e a presença da realizadora Luciana Fina e do artista plástico António Gonçalves, com os quais se abordaram diversas perspectivas sobre o amor com moderação de Teresa Albuquerque. Nesta ocasião, o Arquivo da Casa de Mateus apresentou a gravura/ilustração do Canto IX da obra Os Lusíadas, com o título Ilha de Vénus. Gravura que faz parte da edição Monumental editada e impressa por ordem do Morgado de Mateus, D. José Maria do Carmo nas oficinas Firmin Didot, Paris, 1817.

Os presentes foram brindados com um café, no início da sessão e com espumante Murganheira Bruto no final para comemorar mais um ciclo de conversas.

 

O CCACC iniciou a actividade de 2017, no sábado, 11 de Fevereiro pelas 15h, com uma sessão dedicada a Os Lusíadas de Luís Vaz de Camões,  alusiva ao bicentenário da edição monumental desta obra por D. José Maria de Sousa Botelho Mourão,  Morgado de Mateus. O orador convidado desta sessão foi o Professor João Figueiredo  (Universidade de Lisboa),  autor de vários ensaios sobre Luís Vaz de Camões. A sessão começou com uma visita à Biblioteca da Casa de Mateus, onde os participantes tiveram oportunidade de conhecer a edição monumental, bem como as 13 gravuras que dela fazem parte. Neste dia, contamos também com as presenças de António Fonseca e José Neves, criadores e intérpretes de «Força Humana», espetáculo criado a partir de Os Lusíadas, que se apresentou na véspera, 10 de Fevereiro, no Teatro Municipal de Vila Real, e de José Luís Ferreira, produtor e co-realizador do projeto. O actor António Fonseca apresentou o seu áudio-livro Os Lusíadas como nunca os ouviu, edição integral, impressa e falada, do poema, do qual se ouviram excertos.